quinta-feira, 6 de abril de 2017

PROGRAMA DE MELIPONICULTURA NA FOZ DO RIO DOCE RECEBE APOIO

Em dezembro de 2016, a associação e o Instituto Ecomaris, com apoio do Projeto Tamar, iniciaram um programa de meliponicultura em Regência em Entre Rios, Linhares (ES). Registramos a ação nesse blog: https://ame-es.blogspot.com.br/2016/12/a-ame-es-inicia-programa-de.html

Na época, inauguramos um pequeno meliponario no Centro Ecológico do Projeto Tamar em Regência e em Entre Rios.
Apresentamos as abelhas para os participantes em uma exposição e com a utilização de  palestras. Nas duas localidades foram realizadas oficina de práticas de transferência.

Tendo conquistado a simpatia do movimento ambiental, o  nosso projeto foi indicado pelo Comunidade Regência Viva, dentre outros, à Comissão Nacional para o Fortalecimento das Reservas Extrativista e dos Povos Costeiros Marinhos (CONFREM); que havia recebido um aporte através da Vitalogy Foundation, braço social da banda norte - americana Pearl Jam, que doou a arrecadação de um show em 20 de novembro, em Belo Horizonte (Veja mais aqui). A CONFREM nos contemplou com uma verba de R$ 7.110,00, sendo que já recebemos uma parcela.

Com a parcela inicial, no dia após a realização do II módulo da formação, no último dia 25, conseguímos a distribuição de 16 colonias em Regência e Entre Rios, sendo dez com a espécie jataí (Tetragonisca angustula) e seis de uruçu amarela (rufiventris-mondory).

Abelhas para o Programa de Meliponicultura da Foz do Rio doce.


Meliponarios foram instalados também na comunidade ribeirinha de Entre Rios. 

AME-ES E Instituto Instituto Ecomaris entregando enxames

Participantes vão cuidar das colonias para na primavera serem desdobradas para outros também receberem.


Alegria da Sônia, participante do Programa ao receber uma colônia para cuidar





Ainda no segundo módulo, o Biólogo Paulo Henrique D. Barros, fez uma apresentação explanando o o tema "Manutenção da Saúde e Alimentação das Colonias", tratando da prevenção como forma de se ter sempre os enxames fortes.



Paulo Henrique.

Judsmar Barbosa, o "Júlio", também agradou bastante aos participantes com uma oficina bastante participativa, onde foram fabricados os famosos "bombons de pólen" pelos participantes.

Com a mão na massa de pólen para a fabricação do alimento

Prática - "bombom de pólen"

Judsmar Barbosa ensinou a preparar alimentação artificial

Oficina de produção de alimento proteico.

Nessa etapa também foi realizada uma outra prática, quando foi multiplicado um enxame de  uruçu no meliponario, que foi fundado no primeiro módulo.

Divisão de Uruçu
Durante a revisão das abelhas jatai que foram instaladas ali quando da realização da oficina de transferência de PET, todos ficaram felizes ao ver como os enxames cresceram; ocupando agora, o comportamento de ninho por completo. Esse grande desenvolvimento dos enxames ainda jovens, não deixa dúvida a respeito da grande vocação da região da Foz do rio Doce para a meliponicultura. Aliás, o meliponario ganhou mais espécies, que vieram do plantel que estamos formando.
Enxames que foram transferidos de PET no Primeiro módulo cresceram muito


Enxame do meliponario da AME recebendo melgueira.
Em Povoação, o programa se iniciará no em em 22 e 23/04. Além da formação básica, nestes dois dias, haverá a entrega de 10 colonias  (jatai, mandaçaia e uruçu amarela), além de iscas e atrativos. 

No total, até o 23 de abril, ao final do primeiro módulo em Povoação, a AME-ES, terá deixado, no mínimo, 35 enxames na região, dentre os que estão no meliponario da AME-ES/TAMAR e nas residencias dos participantes,  polinizando e  divulgando a atividade.

Serão distribuídas, também, um total de 38 caixas racionais para a continuidade o Programa de Meliponicultura da Foz do Rio Doce.

E isso é apenas o começo. Estamos em busca de novos apoios para viabilizar uma expansão rápida do programa.

João Luiz Teixeira Santos
           Presidente



















Nenhum comentário:

Postar um comentário