quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Parque de Vitória será reformado e vai ganhar criadouro de abelhas


Obras no Parque Natural Municipal Vale do Mulembá vão custar mais de R$ 1,8 milhão

Parque Vale do Mulembá vai ganhar criadouro de abelhas sem ferrão
Parque Vale do Mulembá vai ganhar criadouro de abelhas sem ferrão.
                   

O Parque Natural Municipal Vale do Mulembá, em Vitória, vai ser reformado. Além de melhorias em sua infraestrutura, o parque, berço de extração do barro da panela de barro, vai ganhar um núcleo de apoio às paneleiras e o primeiro criadouro de abelhas sem ferrão na Capital. A ordem de serviço foi assinada no início de setembro e as obras vão custar mais de R$ 1,8 milhão. Os recursos são provenientes da compensação ambiental firmada entre a ArcelorMittal e a Prefeitura de Vitória.
O secretário municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos, Luiz Emanuel Zouain, conta que a implantação do meliponário, como é chamado o local de criação de abelhas sem ferrão, vai gerar emprego e renda porque também está prevista uma capacitação para moradores trabalharem no local.

"São culturas de abelha sem ferrão. Já estamos lá com experimentos da Associação dos Meliponicultores do Estado do Espírito Santo que vai nos ajudar a, em breve, capacitar quem mora na redondeza e que tenha interesse na área, a trabalhar na produção desse mel, um mel extraordinário", reforça.
A fundação do meliponário será feita através de um convênio, assinado entre a prefeitura, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos, e a Associação dos Meliponicultores do Estado do Espírito Santo (AME-ES).
Entre as outras melhorias de infraestrutura do parque, estão previstos um cercamento frontal, pórticos de entrada, vias de acesso interno, estacionamento, centro de informações ao visitante e um centro educativo e cultural. A obra começa nos próximos dias, com previsão de oito meses para ser concluída. O local, que encanta a todos com a vegetação de Mata Atlântica de encosta e topos de morros, continuará aberto durante a reforma.
O Parque Natural Municipal Vale do Mulembá tem uma área de mais de 142 hectares e apresenta faixas de terras nos bairros Joana D'arc, Conquista, Redenção, São José, Tabuazeiro e São Cristóvão.

Meliponicultura e Educação

Temos investido educação ambiental e divulgando a meliponicultura junto às comunidades e escolas públicas e particulares.

No último mês de junho, no  Parque Natural Vale do Mulembá, quando da instalação do meliponário experimental, esteve presente a Escola Almirante Barroso. Na oportunidade, juntos do Emparede Arte Contemporânea, pudemos apresentar a meliponicultura para os alunos.  - Saiba mais - Como resultados surgiram trabalhos envolvendo a meliponicultura no contexto de diferentes disciplinas.

A partir da experiência um grupo de alunos produziu um vídeo que será apresentado na reunião da AME-ES no dia 16 no Parque Botânico da Vale, e também na comemoração do Dia abelha, 03 de outubro e em outros eventos.

Mas o projeto dos alunos e professores desta escola não parou por aí, e está chegando até a comunidade. O grupo passou a ser multiplicador da proposta, e está iniciando com o acompanhamento da Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Urbanos da Prefeitura Municipal de Vitória, um projeto visando a implantação da atividade em Goiabeiras, tradicional bairro de Vitória. O está repassando os conhecimentos que estão adquirindo com a Ame - ES, Emparede e  trabalhos de pesquisa.

             
Aluna da repassando os conhecimentos adquiridos através da Ame e Emparede.  A PMV é parceira no Projeto.    


Em agosto atendemos o convite da Escola Monteiro Lobato, também e Vitória, e mais uma vez fomos muito bem recebidos. Em uma palestra sobre as abelhas nativas os alunos aprenderam a importância desses polinizadores e a necessidade de protege-los.ró

O próximo município em estaremos presentes em escola é a Aracruz.

Escola recebendo a AME-ES

Ao conhecer as abelhas sem ferrão o jovem tende a se tornar divulgador e defensor.



sexta-feira, 1 de setembro de 2017

AME - ES COMEMORA UM ANO

O encontro no dia 19 de agosto foi muito especial para a AME-ES. Contando com a participação massiva dos associados e também de novos participantes, a reunião aconteceu na Sede Social da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Feeral em Bicanga, Serra.
Foi mais um momento de muita harmonia confraternização. Durante a reunião foi relatado para os associados como está o andamento dos projetos e programas que estão sendo desenvolvidos e discutidos assuntos gerais.
Na oportunidade também foi apresentada a caixa didática com simulação de um ninho, que será utilizada nos treinamentos que foi bolada pelo amigo Medina, da AME-RIO. Foram também sorteadas colônias doadas pela Associação e pelo associado Vinicius Figueira, e outros brindes.
Depois da reunião os participantes fizeram uma caminhada pela trilha onde já estão instaladas várias espécie de a abelhas, e para encerrar, um churrasco de confraternização que se estendeu até o fim da tarde.

Plenária da AME-ES

Mais criadores se associaram

Felipe falando sobre o Convênio da AME-ES com a PMV

Adailton falando sobre o convênio com o clube - Associados da AME-ES poderão se associar também ao clube.  

Robson falando sobre a parceria com o agricultores de Aracruz


Enquanto a reunião acontecia (ao fundo) os dependentes se divertiam
O clube da APCEF, conta com lazer completo.

Vinicius Figueira dou uma colônia de jataí para sorteio. O vencedor, novo associado, Marcos Neiva. A AME-ES ganhou do Vinicius um enxame na isca.
A jataí do Marcos Neiva ficou bem acomodada na Trilha das Abelhas

Depois da reunião aconteceu churrasco de comemoração

A feira de troca e venda mais uma vez aconteceu. 
Aniversariante importante não podia deixar ficar sem um bolo


sábado, 5 de agosto de 2017

Associação de Meliponicultures e Associação de Pessoal da Caixa Fazem Parceria - Associados vão ter clube e meliponário

Agora os meliponicultores do Espírito Santo vão poder contar com mais um ótimo espaço: A associação está formalizando um acordo para que nos próximos dias, seja inaugurada a Trilha das Abelhas, um espaço para meliponário na área verde do Clube dos funcionários da Caixa -APCEF.

Edmar Martins, Presidente da APECEF: Feliz com a entidade sendo amiga das abelhas.

Adailton, representando a AME-ES, um dos articuladores e Coordenador, assinando acordo. 

Judismar Barbosa - Tesoureiro da AME-ES

Além da trilha, planeja-se também, a construção de um meliponário coberto para pelo menos 50 colônias. Essa excelente área verde estará disponibilizada para que a Associação, seus associados, e os associados da APCEF possam instalar colônias, praticar ações de educação ambiental e manejos envolvendo as abelhas nativas.
São em torno de 1.400 metros de trilha.
juto à trilha está garantida a água para as abelhas - Local muito indicado para a criação de meliponas
Diferentes espécies já estão instaladas na Trilha das Abelhas - Irai.
Mirim guaçu na Trilha dasAbelhas. 
As colônias ficam em caixas de diferentes modelos.
A disponibilização do local vai oferecer aos criadores um local onde possam criar abelhas nativas, e compartilhar genética com outros criadores. Basta que seja associado da AME - ES, ou APCEF, e se credencie.


A APECEF também irá adquirir algumas colônias de abelhas que serão utilizadas para formação de criadores dentro do quadro de bancários da Caixa associados. Isso através da AME-ES, que em troca, receberá parte dos desdobramentos para utilização em projetos futuros, de fornecimento de colônias para os associados, e também para projetos sociais.

ASSOCIADOS DA AME-ES TAMBÉM PODERÃO SE ASSOCIAR AO CLUBE SEM PAGAMENTO DE TAXA DE ADESÃO.

Outro Termo está sendo fechado. Esse está liberando os associados da AME-ES de pagar a taxa de adesão geralmente cobrada do público externo que deseja frequentar o clube. Assim, poderão, usufruir além do meliponário, de  toda estrutura de um clube: piscinas, toboágua, campos de futebol, sauna, sala de jogos, bocha, churrasqueiras, apartamentos... tudo isso perto da praia:

O clube está localizado em área de Mata Atlântica na Grande Vitória (Serra) 
Assim, os meliponicultores do Espirito Santo serão, provavelmente, os primeiros do Brasil a poder contar com um meliponário - clube.

CLUBES EM CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM E COLATINA:


O convênio abrange também também as sedes da APCEF em Cachoeiro do Itapemirim e Colatina. Assim, estamos proporcionando aos associados, possibilidades de encontros de lazer e também de confraternização na Grande Vitória, no norte e também sul do Estado.

Clube em Cachoeiro do Itapemirim dispõe de piscinas, Campo de futebol, quadra churrasqueira, espaço para festas)
Sede de Colatina: Piscina com toboágua, campos de futebol, bocha, churrasqueiras e cozinha para festas.

REUNIÃO MENSAL DA AME NA SEDE DA APECEF:

Será nesse cenário da Sede Social em Bicanga (Serra) a reunião mensal de agosto. No dia 19 os associados poderão conhecer o local e se informar melhor sobre a utilização do meliponário e sobre como se associar, além de receber informes sobre as atividades que vêm sido desenvolvidas. Na oportunidade, haverá ainda o sorteio de uma colônia de jataí.

CONFRATERNIZAÇÃO - ANIVERSÁRIO DE 01 ANO

Após a reunião haverá um churrasco de confraternização em um dos quiosques do clube, o Quiosque 5, próximo da piscina e também da Trilha das Abelhas, em comemoração do aniversário de um ano de fundação da AME-ES. Para participar, entrar em contato com o Conselheiro André, pelo email hunterandre@hotmail.com ou watsapp 27 997906485.

Postado por João Luiz T. Santos.




 

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Convite Para a Reunião de Agosto de 2017

Convidamos os associados para uma reunião no dia 19 de agosto de 2017, sábado as 09hs, na Sede Social da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (APCEF), situada à Av. Meridional, número 2129, Bicanga – Serra/ES, para tratarmos dos seguintes assuntos:

Relatório das atividades desenvolvidas no primeiro ano da AME/ES;
Grupo de trabalho da câmara técnica (Legislação, SIF e Programa Estadual da Meliponicultura 2018-2022);
- Inauguração de um meliponário para utilização dos associados, naquele local;
- Convênio com a APCEF para que os associados possam utilizar as instalações do clube;
- Orientações sobre o cadastro de dependentes;
- Anuidade 2017/2018.

Em 01 de Agosto de 2017.

João Luiz Teixeira Santos - Presidente.

GUANANIRA - A ILHA DO MEL

Os índios chamavam a ilha de Vitória de Guananira, ou "Ilha do Mel'.

Foi essa a inspiração para o nome do Grupo de Trabalho composto de representantes da Prefeitura de Vitória, da  Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Vereadores, e também por Membros da  Associação dos Meliponicultures do Estado do Espírito Santo - AME - ES; para discutir e encaminhar questões relativas a meliponicultura no âmbito da Cidade de Vitória.

Assim, AME-ES está tendo esta oportunidade de apresentar demandas tais como: a apresentação de uma Lei regulamentando a atividade na Capital, o encaminhamento de uma solução para a problemática da aplicação de venenos que, acabam por matar os polinizadores, e o desastre das árvores tóxicas como o neem indiano e espatódeas.

O Grupo de Trabalho está se preparando para implantar um programa de meliponicultura na "ilha do mel", envolvendo a educação ambiental, implantação de meliponários nos parques, e ainda treinamentos, principalmente dos moradores das imediações das áreas verdes da cidade.

 A primeira ação ocorreu no Parque Natural Municipal doVale Mulembá, onde foi instalado um meliponario em 07 de junho. Já estão instaladas algumas colônias e já iniciamos trabalho de educação ambiental e noção de meliponicultura com estudantes e moradores - Veja postagem a respeito

Recentemente foi realizada uma visita ao projeto de meliponicultura em andamento nas aldéias indíginas de Aracruz, para conhecer o funcionamento e, juntando com a experiencia já adquirida com nossas atividades na foz do Rio Doce, planejar um futuro projeto para a população do entorno dos Parques Municipais.
Visita ao projeto de meliponicultura indígena

O grupo pôde conhecer melhor a as abelhas nativas e as potencialidade ambinentais, sociais e eoconomicas da meliponicultura

A intenção do Guananira é fazer Vitória voltar a ser a "ilha do mel". Para isso, se busca oferecer aos moradores uma forma de acesso às colônias, tornando a meliponicultura uma atividade reconhecida e produtiva, incentivando a produção de méis das abelhas nativas, ao mesmo tempo em que se oferece polinizadores para as áreas verdes da Cidade.







sexta-feira, 28 de julho de 2017

ENCONTRO DA AME TEM OFICINA DE FABRICAÇÃO DE LÂMINA DE CERA E APRESENTAÇÃO SOBRE FORÍDEO.

No encontro de julho, no dia 15, mantivemos a feirinha e o também já tradicional lanche compartilhado, que ocorrem desde a nossa Assembléia de Fundação e, é claro, conversamos muito sobre abelhas.

Na reunião, nosso o Associado e Engenheiro Ambiental, Ricardo Braga apresentou uma pesquisa que fez sobre os trabalhos realizados sobre essas moscas, além das metodologias utilizadas no combate a essa, que é a pior praga da meliponicultura, depois dos humanos, é claro.
Ricardo Braga 
Na mesma oportunidade, Rogério Caldeira do Emparede Arte Contemporânea foi facilitador de uma oficina de fabricação de lâminas de cera. Os associados presentes produziram as lâminas e puderam trocar opiniões e experiência de como se usar a cera bruta de apis junto com a cera ou atrativo de abelhas nativas para adiantar o crescimento das colônias, fornecendo também na forma de potes de alimento e invólucro para os discos de cria.  
Rogério Calderia (AME -ES e Emparede)
,
Os associados e seus dependentes puderam praticar


Com a cera e cerume é possível construir potes artificiais

E as lâminas realmente agradam. Em nossa visita de acompanhamento das abelhas do Programa de Meliponicultura e do nosso meliponário no Projeto Tamar, em regência, e também em Entre Rios, oferecemos para as aabelhas. Principalmente as jataí gostaram muito da oferta - formaram aglomerados retirando o material oferecido externamente.